Seja muito bem-vindo ao Copo de Letras!! Sirva-se sem moderação. ;)

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

12 de Outubro


12 de outubro, Dia das Crianças...

Quando eu era criança, os morros eram mais altos e as escadas, bem mais compridas. O engraçado é que não me cansava...
A roda gigante era muito, muito mais alta e o algodão doce do parquinho, muito mais fofinho!

Quando minha mãe me gritava do portão pra eu parar com a brincadeira com a molecada da rua, eu tentava ao máximo ignorá-la, até que não tivesse mais jeito, e eu fosse _contrariada_ pra casa. Hoje eu chego em casa e não há alguém me esperando; tanto faz se eu chegar duas horas mais tarde ou não chegar.

Quando eu era criança, gostava de ouvir conversa de adulto, ficava na espreita, atrás da porta, ouvindo os desabafos e os conselhos das amigas da mamãe e dela própria. Hoje, legal mesmo é ouvir as brincadeiras da minha filha com suas bonecas. (Papo de adulto é um saco!)

Eu achava que meu pai era um herói! Ele me colocava pra dormir (não sem antes me fazer um carinho nos cabelos e me dar um beijo de boa noite). Ele era um camarada amável e engraçado. Eu poderia jurar que ele me amaria para sempre... hoje, nos falamos _no máximo_ duas vezes por ano: no aniversário dele e, às vezes, no meu.

Minha mãe sabia tudo!
Ela continua sabendo, mas mora lá do outro lado do oceano.

Quando eu era criança, achava a ‘tia’ da escola linda e perfeita. Eu não sabia calcular a idade, nem o peso das pessoas. Hoje eu vejo, de vez em quando, a ‘tia’ da escola e não acredito como pude por tantas vezes querer ser uma mulher de rosto tão comum... ah, e acertar com precisão a idade das pessoas não tem gosto de nada... nada!

Quando eu era criança, passava tardes inteiras com meus lápis de cor e papéis em branco, criando e desenhando o mundo do meu jeito. Hoje ainda tenho lápis de cor e papéis em branco também. Mas minhas tardes são vazias, cheias de nada, imersas em saudades e preocupações. E se rabisco papéis, é para fazer contas. Ou a lista do que está faltando.

Quando eu era criança, eu dormia cedo, eu dançava em frente ao espelho, eu tinha uma amiga invisível! Hoje eu tenho insônia, não danço nem em pista de dança e tenho mais de cem contatos no celular. Amigos? Três, no máximo.

É, cresci. Cresci como acontece com todo mundo.

Hoje eu choro mais, a minha dor dói mais do que quando eu esborrachava o joelho no cimento grosso. Hoje eu tenho TPM, eu menstruo, tenho que arrancar pelos na cera fria. Hoje eu estou na vitrine de uma sociedade. Tenho satisfações a dar (ou pelo menos, tem gente vigiando, esperando diariamente por elas...)

Bom mesmo é ser criança. É dormir no meio da festa, no colo do pai. É arrancar os sapatos que apertam. É simplesmente não sorrir, caso não esteja a fim.

Ser poeta é estar criança. É ver mais cor, sentir mais sabor. É esquecer-se logo do machucadinho e correr pra brincadeira novamente.

12 de outubro é o “Dia das Crianças”. E quer saber?
12 de outubro é meu também!

6 comentários:

Fernanda Bahiense disse...

Lu, é nosso dia!!! Porque bom, bom mesmo é ser criança!!!!Beijos

Mirella disse...

Ahhh, mas esse dia não é só seu não... É meu também!!!!!! Vamos comemorar comendo muito algodão doce, afinal, na minha opinião, eles continuam fofinhos (o problema é que agora eles nos deixam 'fofinhas', mas quem se importa com isso em pleno dia das crianças???).
E pode se virar com seus outros amigos, pois eu tenho certeza que um desses três que você enumerou sou EU!!!!!!
Eu te amo amiga!!!
Se blog tá lindo!!!!!
Beijão
Mirella

Lego disse...

Nossa...lembro como o cheiro do perfume da tia da escola me acalmava. E lembro que achava cômico o fato de uma das minhas amigas (que foi namorada em segredo) ter o mesmo nome de uma namorada do meu tio.
Ouvia música clássica e acha engraçado os sons que o João Bosco fazia no final das canções...(io io io).
Lindo texto.

Leca disse...

...hummmmmmmmmmmmmmmm
É MUITO BOM ISSO!!!
CARACAS!!!
NÃO ME LEMBRO DE QUASE NADA DA MINHA INFÃNCIA, MAS PARTICIPEI EM DEMASIA NA SUA..HEHEHEHEHEHEH
PARABÉNS!!! SEJA SEMPRE CRIANÇA, MESMO SENDO MAIS UM POUQUINHO CRESCIDA PARA DIVIDIR COM A NOSSA CRIANÇA MENOR, A LUÍSA...
BEIJÃO NAS DUAS, GRAÇA E PAZ!!!

Alê disse...

Amiga minha!!!
Lindo texto!
Li e fiquei pensando:como é bom recordar esses momentos...Lembrar das cores,dos perfumes, das pessoas e das coisas...Amei e Léo tbm...
Te amo gata!!!

Terezinha Maria disse...

Depois que li pela primeira vez um texto seu, nao parei mais. Cada dia leio um pouco. Esse, em particular, achei maravilhoso. Fala de todos nos. Realmente, criança é tudo igual!
Um beijo: Tia Terezinha.