Seja muito bem-vindo ao Copo de Letras!! Sirva-se sem moderação. ;)

quinta-feira, 17 de março de 2011

O Sol sem Luz


Como já fora dito, "Sem filtro na veia", meu livro (ai, que emoção parir isso!!) está a caminho, muito provavelmente em junho, em decorrência da festa de Cachoeiro. Os filhotes (leiam-se textos) selecionados estão guardados para o livro e eu fico num martírio para postar algo aqui, pois os que eu não selecionei, eu resisto muito em gostar deles... mas, como me propus a movimentar a coisa aqui, vai aí um poeminha de mais ou menos 2005, 6... não sei ao certo, que não vai para o livro... Talvez eu devesse postar sem maiores justificativas e pronto, mas está no meu coração me explicar e então, taí!

"Como eu sou girassol, você é meu sol..."
Deus quis me dar você,
mas você não quis se dar para mim.
Agora
sou como um demônio encarnado em sua alma,
sem deixar seu pensamento em paz.
E eu tive que trancar o Sol
numa gaveta em que eu não mexo mais.
Um pouco do seu medo tinha que estar em mim,
minha coragem assustou você.
Hoje eu olho para o céu
O Sol continua lá
e o meu Sol ainda brilha, numa gaveta escura.
Do seu amor, tornei-me sua dor.
Ainda sou sua Luz
e sem mim você fica nublado;
ainda sou sua Luz
e sem mim você perde para as nuvens.
Você não me exorciza
e mesmo sem saber eu continuo em sua vida...
...e Deus até que quis me dar você
Mas você teve medo de se dar para mim.


Trilha sonora:
(essa já fez chorar, hein?!)

: )

2 comentários:

Thiago Schwart disse...

Desculpa dizer mas eu acho uma completa injustiça vc deixar esse poema de fora, ele é lindo, simples e profundo. Mas vc pode esnobar, vc é mto fera!!

Bjos, adoro tudo o que vc escreve!

VaneideDelmiro disse...

Maravilhosa notícia, a chegada do seu livro. Eu, e tantos outros, também esperamos ansiosos esse deleite.
Parabéns!
Abraço