Seja muito bem-vindo ao Copo de Letras!! Sirva-se sem moderação. ;)

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Olá, inferno!



 Olá, inferno! Eu voltei!
 E estou muito pior
 Que das outras vezes
 Sou um poço de água infectada
 Uma fila de doentes
 Sou a colônia espoliada
 A fuligem na garganta
 Hoje
 Mais uma estrela do meu céu foi apagada
 E era a mais querida, a maior delas
 Envelheci alguns anos nesta manhã
 O sol está posto, mas eu sinto frio
 O meu coração está gelado
 Hoje
 Sou a potência arrazoada pela guerra
 Dentro de mim
 Há corpos caídos, há um choro distante
 Ruínas, destruição, silêncio...
 Mentiras são bombas,
 Desmoronam os sonhos
 Maledicência é a morte,
 Cala os acordes
 Injustiça é veneno
 E sequer pude me defender
 Tive os olhos vendados,
 Não pude ver o tamanho do meu opressor
 Apenas me enxotaram do Paraíso,
 Como a um cachorro ferido
 Eu voltei, inferno
 Voltei com a grande estrela nos braços
 E por ela eu ainda choro
 Voltei mais envelhecida,
 Voltei cansada, precisando de cuidados
 Mas sei que ninguém cuidará de mim
 Estou muito pior que das outras vezes
 Estou exausta...
 ... vim para morrer mais cedo.

Nenhum comentário: