Seja muito bem-vindo ao Copo de Letras!! Sirva-se sem moderação. ;)

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Líder: ou você é ou você está



Hoje resolvi falar sobre liderança, esse privilégio que é para poucos, mas que tem sido decaído por muitos. O que me motivou a escrever sobre isso são as barbaridades que vivi e tenho visto ao longo da vida na posição de liderada por outrem.

Falo especificamente acerca das igrejas e ministérios, onde a "liderança" se justifica com o verso 1 do capítulo 13 de Romanos, que diz: "Todos devem sujeitar-se às autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus; as autoridades que existem foram por Ele estabelecidas." O que vejo, entretanto, são pessoas completamente despreparadas, incapacitadas e incompetentes se fundamentando equivocadamente nesse versículo. Mais parecem defensores da Teoria do Direito Divino, aquela, criada durante a Idade Média, no auge do Absolutismo para justificá-lo. Naquele contexto, os reis se autointitulavam como os representantes de Deus na Terra e eram respeitados como tal. O que vejo em pleno século XXI são pessoas completamente incompetentes se colocando num pedestal de semideus, intocável e indialogável, o que, na verdade, mais parece uma liderança ditatorial, muitíssimo distante da proposta de Jesus, o maior líder de toda a História.

Para início de conversa, a liderança é um dom nato: ou você nasce com ele ou definitivamente você não nasce com ele. O líder o é de nascença. Ninguém se torna um líder, o que acontece é uma pessoa (líder nata) ao longo da vida ser lapidada e aprimorada nesse posto.

Ano passado fui privilegiada por participar do The Global Leadership SUMMIT, um congresso anual realizado nos EUA e franqueado para outros países, onde é tratado o tema liderança por pessoas renomadas. Na edição do ano passado, ouvi Condoleezza Rice, Jim Collins, Craig Groeschel, John Ortberg e tantos outros. Nessa ocasião, ouvi verdades que valem a pena ser compartilhadas a fim de que pessoas despreparadas (que estão líderes) percebam que definitivamente estão matando seus ministérios, negócios, projetos, enfim.

Pouquíssimas pessoas nasceram para liderar. Segundo Bill Hybels, energizar as pessoas é um desafio exclusivo do líder, e o maior de todos. O autêntico líder motiva seus seguidores e estes, por sua vez, têm prazer em atendê-lo, pois confiam em sua capacidade e o admiram.

Amo uma fala da Condollezza quando ela afirma que "o autoritarismo nunca será estável." Pessoas que não argumentam e que se impõem não servem para liderar pessoas.

Outra fala maravilhosa é a de Jim Collins, quando diz que "é a humildade que separa um líder excepcional do medíocre." Ah, como falta humildade (e humanidade) nas pessoas que estão líderes... O verdadeiro líder é humano. Ele jamais será indiferente à dor e ao desconforto de seus liderados. Um legítimo líder, ao saber que um membro de sua equipe está acamado por exemplo, irá até seu liderado saber como ele está, se precisa de alguma coisa, enfim. Ele jamais ignorará o choro de um liderado, mas procurará saber o que o entristece naquele momento.

Craig Groeschel afirma que "o líder dá espaço para os seus seguidores falharem ou conquistarem, ele não fica impondo o que deve ou não ser feito." Ele ainda diz outra frase maravilhosa que diz que "o respeito se conquista, a honra é dada. A honra pública leva à influência particular." Essa ideia só reforça o poder do diálogo, da franqueza e da autenticidade que um líder deve exalar e defender durante toda a sua vida. Esses elementos são o segredo para despertar em seus liderados o respeito e, por conseguinte, a honra.

Ainda ouvi de Carly Fiorina que "problemas sérios devem ser tratados com sigilo." Isso é tão básico, que me assusta ver tantos "líderes" expondo seus liderados de uma maneira tão imatura.

O líder sempre inspirará as pessoas a segui-lo, a honrá-lo, a querê-lo por perto. Ele deve ter inteligência emocional, postura, resiliência, sensibilidade para interpretar as individualidades de seu grupo, saber usar o que cada um tem de melhor, explorar as suas potencialidades. O líder não manda recados e não lança mão de indiretas. É ele mesmo quem procura em particular seu seguidor e inicia uma conversa franca acerca do que precisa ser tratado. Ele jamais usará alguém como exemplo na frente do grupo sem que antes esse alguém já tenha sido procurado e autorizado ser exemplo.

O que fica é a indignação em ser liderada por pessoas tão incompetentes, vê-las cometendo erros grotescos e primários, que só revelam sua mediocridade e despreparo. Pessoas preocupadas em ser enérgicas o tempo todo em detrimento de ser gentis e educadas. Para essas pessoas deixo uma dica valiosíssima: em agosto, nos dias 08 e 09/2013, acontecerá mais uma edição do SUMMIT, em Chicago. Visitem o site www.willowcreek.org.br e vejam como se inscrever. O bom mesmo seria entender, de uma vez por todas, que vocês nunca serão líderes, apenas estão. Mas... como conheço muito bem sua teimosia e limitação, sugiro que façam o SUMMIT e tentem apreender alguma coisa, pelo amor de Deus!

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Resposta

http://www.youtube.com/watch?v=C2bMdIfYb3E


Aguentei teu silêncio, engoli tuas distâncias.
Você voltava e, sem aviso, se distanciava novamente.
Minhas mensagens raramente eram respondidas
e ainda tive que suportar tua iludida felicidade,
em viagens sorridentes por aí.
Você estampou fotos, publicou alegrias
e me fez acreditar que estava no paraíso,
perdendo-se em fios dourados,
em paisagens muito bem intencionadas.
Tive que calar meu coração, manter-me distante.
Tive que abaixar o som e recolher as minhas poesias.
Enquanto vocês brincavam de faz-de-conta-que-somos-felizes,
eu implodia em saudades e em certezas de que
aquele todo não preencheria os vãos do teu coração.
Mas, o que pude fazer,
senão me recolher, me calar, me morrer?!
Daí o aparente céu revelou-se inferno
Toda felicidade desnudou-se, era sórdida deslealdade
Você passou então a [sobre]viver dias lancinantes
e noites de tormentos.
Só então lembrou-se de mim, quis voltar àqueles dias,
em que sabíamos exatamente o que tínhamos que fazer
para ser a perfeição em mimos, músicas e amor.
Mas por três segundos nos desencontramos
resolvi não esperar mais nada dessa promessa-certeza,
me recolhi, fui embora.
Agora
em poesias me atacas,
me bombardeias todos os dias com entrelinhas encharcadas de acusação,
expõe-me toda tua insatisfação e desapontamento
e me culpa por não mais estar ao teu alcance.
Ora, não sou culpada,
mas não tenho vocação para ser o plano B.
E na tua vida sempre fui o plano C, o plano D
[ou não?]
Nos braços de quantas eu te vi entrelaçado?
Ah, eu estava o tempo todo ali...
E em três segundos o mais-que-perfeito tornou-se mais-que-comum.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Cores Frias



Os dias passam e mal posso acreditar
Caminhávamos para um lugar calmo,
sem complicações e perguntas
Estávamos em paz, na cadência do outono
Sem maiores expectativas
contemplávamos o entardecer todos os dias
e suas cores lindas nos faziam sorrir
Mas um vento tão forte, tão inesperado, nos sobreveio
...
Fez revoar todas as folhas secas, que adornavam nosso caminho
e fez cair tantas outras, que se agarravam aos galhos secos
Tudo se misturou, tudo se confundiu
Apertamos as nossas mãos ainda mais forte e,
com o intuito de não nos perdermos, nos perdemos
O vendaval [que causamos] trocou tudo de lugar,
arrancou as folhas, sacudiu os sentimentos
Despertou-nos ações inesperadas, reações imprevisíveis
Soltamos as mãos,
fomos cegados pela circunstância
O destino calmo, de tardes coloridas,
agora é lancinante e nebuloso
Nos perdemos
O que essa ventania gerou em nós dois?
Tenho medo dessa paisagem desfigurada e,
embora as dúvidas me consumam,
não consigo buscar respostas
Implodo em silêncios e não te procuro,
sem saber se isso é sensatez ou puro medo
Abro a janela, mas não te vejo
Estou cercada pelos ecos das palavras carinhosas,

pelos vultos de certezas que já não existem
Olho pela janela,
as tardes ainda têm cores, cada vez mais frias
E logo será inverno.