Seja muito bem-vindo ao Copo de Letras!! Sirva-se sem moderação. ;)

sábado, 27 de dezembro de 2014

Previsão do Tempo



No início, o fim foi terrível, como todo fim
Nossa doce rotina ainda estava fresca,
pairando pelo ar da casa
Tuas impressões digitais
ainda estavam nas capas dos discos, na escova de dentes, na minha pele
Olhar para aquele lado da cama e não te ver
era tão triste, me fazia chorar,
eu enfiava o rosto no travesseiro e gritava, para  expurgar aquela dor na minha alma
Dormia de exaustão, imersa nas nossas lembranças
Acordar era um castigo, os dias tinham um peso incalculável
Respirar era pesado, viver era um sacrifício
A cada amanhecer eu acordava um pouco menor
Deixava uma porção da minha vida
Diluída nas horas da madrugada
Os dias entraram, saíram, nunca mais te vi
Teu cheiro, antes impregnado nos lençóis,
hoje é uma vaga lembrança em minha memória
Eu não tenho a menor das notícias sobre tua vida,
Simplesmente teu passado te tragou,
como o mar traga pequenos barcos, em noites tempestivas
Era um domingo de sol, tinha tudo pra ser lindo, mas foi o início do fim
Hoje pareço em paz,
mas não posso chamar esse mormaço de paz se ainda me inspiras tanta saudade
Parece paz, mas só de ouvir teu nome, numa boca qualquer,
me arrepio inteira, sinto que ainda estou presa naquele domingo de sol,
que fechou o tempo da minha vida, 
que fez desabar a tempestade
que até hoje só chove saudade e nostalgia.

Nenhum comentário: