Seja muito bem-vindo ao Copo de Letras!! Sirva-se sem moderação. ;)

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Amor Meu


Não gosto de te chamar de amor
embora muito eu te ame
Aliás, é por muito te amar
que eu não gosto de te chamar assim
Chamar de amor quase sempre é um clichê,
seja amor inerte, pesado de costume
ou porque estão olhando e soa bem
Não, não soa!
Amo-te tanto que não mereces ser chamado de amor
Pois és amor sentido,
amor doído, amor esperado, demorado,
amor feito com amor
Não, eu não gosto de te chamar de amor
embora muito eu te ame
Olha aí!
O amor está na boca de qualquer um!
Tolos, traidores, indiferentes, frios, impostores
E meu amor transborda fervente
Vive
Espera
Mata
Me devolve à vida
Jamais morre
Meu amor explode na palavra fria
Ri da soberba de quem se sente dono
Não cabe no clichê
e cospe na cara do costume
Meu amor deixa a porta aberta,
não precisa dos teus olhos para ser leal
Não, eu não gosto de te chamar de amor
embora muito eu te ame
Aliás, é por muito te amar
que não posso te chamar assim.

Nenhum comentário: