Seja muito bem-vindo ao Copo de Letras!! Sirva-se sem moderação. ;)

quarta-feira, 22 de março de 2017

22 de Março - Meu Dia


Tom Jobim que me perdoe, mas prefiro meu março sem as águas. Sou solar. É o Dia Mundial da Água, mas eu não quero água nesse dia que também é meu. Pura contradição, eu sei. Amo, mas quero espaço. Deixo minha alma livre para se prender ao que quiser. Que chova, mas não hoje. Hoje quero me entrelaçar nos raios de Sol para tocar naquela pele que tanto amo.

Nasci às 06:15 da manhã. Com certeza passei a noite escrevendo, tendo as sinapses mais poéticas que um útero pode abrigar. E depois dos rascunhos jogados fora e dos poemas passados a limpo, resolvi nascer para, enfim, poder dormir. 

Foi uma manhã quente, como é meu coração, do jeitinho que preciso que sejam comigo.

Minha mãe não tinha passagem, eu também não forcei. Há passagens que não se forçam: eis meu primeiro teste de paciência. Tiveram que cortar camadas de pele e de carne para que eu fosse encontrada. Dolorimentos naturais da vida. Deixei marcas. A felicidade tem seu preço, e lá foi mamãe pagá-lo para finalmente me dar à luz _sinceramente espero que tenha valido o investimento.

Acho também que não cheguei naturalmente ao mundo junto com as contrações porque não teria sentido eu nascer noutra data que não fosse 22, o número da loucura, da excentricidade, da renovação e da angústia ante a rotina. Por isso esperei amanhecer.

É, tudo faz sentido.

Era outono, manhã do dia 22. Fui recebida pela chuva e pelo astro-rei, dia de contradição no céu _será que isso explica meu coração? Talvez.

Nasci poeta, notívaga, canhota. Nasci sabendo que não posso invadir espaços. Por isso os conquisto, ainda que demore. Eu espero.

Nasci estranha, observadora, escritora, habitante de cavernas e fascinada pela liberdade. Ariana duas vezes, marciana, pronta para a luta. 

Às vezes me fecho e converso somente com a Lua porque eu sei que ela não existe sem o Sol. No meu céu cheio de contradição, somos todos um só poema. E mesmo quando caem as águas de março, nem assim se apaga o eclipse no meu coração.

terça-feira, 14 de março de 2017

Paredes


Ao adentrares um coração pela primeira vez, 
não te contentes apenas em ir a todos os seus cômodos 
conferir se há alguma presença ali escondida, 
mas peças licença ao dono 
e faças uma pequena prospecção em suas paredes 
Muitas presenças não são palpáveis, 
mas estão sob a tinta das paredes, 
onde foram escritos seus nomes, 
suas histórias, seus rabiscos e sonhos
Existem corações aparentemente vazios e dispostos a te acolher, 
mas estão carregados de ecos, cheiros, 
desejos e sons escondidos sob a tinta, sob o tapete, 
atrás dos quadros, na beiradinha do espelho, 
numa telha quebrada, numa toalha florida
A princípio o espaço parece livre para ti, mas tem dono
Não podes mudar isso, posto que muito desejes
E então teus olhos, outrora brilhantes, hão de ser tristes
insistindo em lutar com quem ali não mais reside,
mas presente permanece.

quarta-feira, 8 de março de 2017

Dia da Mulher todo dia é!


Acordar. Cuidar. Resolver. Conferir.
Sangrar. Depilar. Esmaltar. Sorrir.
Cozinhar. Correr. Treinar. Persistir.
Ensinar. Defender. Perfumar. Sentir.
Trabalhar. Provar. Limpar. Parir.
Representar. Doer. Disfarçar. Dormir.
Não me traga uma flor hoje,
traga-me 365, e não todas de uma vez
Traga-me uma a uma, 
a cada amanhecer
como uma bênção para meu dia
Ser mulher virou sinônimo de autossuficiência,
mas isso é mentira do sistema, acredita não!
Seja ombro, abrigo, carinho, coração
Seja cúmplice, parceiro, seja doce proteção
Pois na vida de uma mulher
entre o acordar e o dormir
Faz toda diferença ter alguém 
que verdadeiramente se importa,
alguém com quem a vida 
é um presente dividir.